Azoospermia e infertilidade masculina: qual a relação? - Clínica Art Medicina
Clínica Art Medicina Reprodutiva
Pré-agendar consulta
Azoospermia e infertilidade masculina: qual a relação?

Azoospermia e infertilidade masculina: qual a relação?

O sêmen é o líquido expelido pelo homem no momento da ejaculação. Formado por líquido seminal e espermatozoides, ele tem extrema importância para a fertilidade masculina. Os espermatozoides são os gametas masculinos e sua função é fecundar o óvulo para formar um embrião. Já o líquido seminal tem o objetivo de facilitar o transporte dos gametas e protegê-los dentro do corpo da mulher.

Para que o homem seja considerado fértil, entre outros fatores, é necessário que seu sêmen e seus espermatozoides alcancem os parâmetros mínimos definidos pela OMS. Quando isso não acontece, o paciente passa por um problema chamado alteração seminal, prejudicando sua fertilidade.

Uma das alterações seminais mais comuns é a azoospermia, a ausência de espermatozoides no sêmen. Saiba mais sobre este problema e sua relação com a infertilidade masculina:

O que é azoospermia?

A azoospermia é uma alteração seminal caracterizada pela ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado. Esta é uma das principais causas da infertilidade masculina, pois sem a presença dos gametas é impossível que aconteça a fecundação. Diversos fatores podem causar a azoospermia, que é classificada como obstrutiva ou não obstrutiva.

Para diagnosticar essa condição, é necessário realizar um exame chamado espermograma. Ele é feito a partir da análise de uma amostra de sêmen coletado por meio de masturbação. O ideal é que seja realizado ao menos duas vezes para um diagnóstico confiável de azoospermia, já que esta condição pode ser identificada eventualmente devido a fatores temporários.

Ao confirmar o diagnóstico de azoospermia pelo espermograma, outros exames podem ser solicitados para verificar se a condição é obstrutiva ou não obstrutiva.

Azoospermia obstrutiva

A azoospermia obstrutiva acontece quando existe qualquer bloqueio no caminho pelo qual os espermatozoides transitam, como os canais deferentes e o epidídimo, por exemplo.

Nesse caso, o homem produz espermatozoides normalmente, mas eles são impedidos de passar pelos canais adequados no momento da ejaculação. Dessa forma, apenas o líquido seminal é ejaculado.

Azoospermia não obstrutiva

Quando a ausência de espermatozoides no sêmen é causada por problemas na produção dos gametas, chamada espermatogênese, a azoospermia é considerada não obstrutiva.

Essa condição pode estar relacionada a problemas hormonais ou fatores que prejudicam o funcionamento dos testículos, que é onde os espermatozoides são produzidos.

Azoospermia e infertilidade

Os espermatozoides são as células reprodutivas dos homens, que contém seu material genético. Quando a ejaculação acontece dentro do corpo da mulher, eles são transportados com o auxílio do líquido seminal para chegar até as tubas uterinas. Se a mulher estiver em seu período fértil, um espermatozoide penetra o óvulo e acontece a fecundação.

Um embrião é formado e a partir de então outros processos acontecem no organismo feminino para que a gestação possa se iniciar e se desenvolver.

Quando o homem apresenta a condição da azoospermia, seja ela obstrutiva ou não, a ausência de espermatozoides impossibilita a fecundação e, assim, não há chances de a mulher engravidar.

O que pode causar azoospermia?

A azoospermia pode ter diferentes causas, que também variam entre suas classificações. Quando obstrutiva, seus fatores relacionados são aqueles que causam alterações físicas nos órgãos reprodutivos do homem. Quando não obstrutiva, as causas mais comuns são distúrbios hormonais ou problemas internos e externos que afetam os testículos.

Causas comuns da azoospermia são:

Duas causas que demandam uma atenção maior são a varicocele e os tratamentos oncológicos. A varicocele é a principal causadora de infertilidade masculina e prejudica a espermatogênese. Os tratamentos contra o câncer também afetam a produção dos gametas, e nesse caso é indicada a preservação oncológica da fertilidade.

Tratamento e reprodução assistida

O tratamento mais indicado para a azoospermia depende de sua causa. Quando causada por uma doença, é necessário tratá-la para evitar outras consequências graves e possivelmente recuperar a fertilidade do homem.

Se a causa é um problema hormonal, é preciso identificá-lo para que possa ser tratado. Quando a azoospermia é resultado de lesões, é comum que a produção volte ao normal após a recuperação com cuidados adequados.

Para aqueles homens que são diagnosticados com a alteração seminal e têm o desejo de ser pais, há a indicação da reprodução assistida. A azoospermia é considerada um problema grave de infertilidade, portanto a única técnica que pode ser realizada é a fertilização in vitro (FIV).

A técnica consiste na fecundação em laboratório, após a coleta dos óvulos e dos espermatozoides. Se o homem possui azoospermia obstrutiva, é possível fazer a coleta diretamente dos testículos ou do epidídimo.

O preparo seminal também pode auxiliar a encontrar um número suficiente de gametas, mesmo que muito pequeno. Nesse caso, a FIV ICSI permite que os embriões sejam formados com um risco menor de material genético, já que é necessário um único espermatozoide para cada óvulo.

Ainda, se houver realmente a impossibilidade do paciente utilizar seus próprios gametas, pode-se realizar a FIV com os espermatozoides de um doador anônimo.

Se busca mais informações, continue aqui no site e leia mais sobre a azoospermia.

Agradecemos a sua leitura, aproveite e compartilhe
com seus amigos esse texto:
Ficou com dúvidas ou gostou do conteúdo?
Deixe o seu comentário abaixo:

© 2021 ART MEDICINA S.A CNPJ: 17.109.145/0001-28. Todos os direitos reservados.
O conteúdo deste site foi elaborado pela equipe da Clínica Art Medicina e as informações aqui contidas tem caráter meramente informativo e educacional. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, somente ele está habilitado a praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Todas imagens contidas no site são meramente ilustrativas e foram compradas em banco de imagens, não envolvendo imagens de pacientes.
Diretor Técnico: Marcelo Giacobbe - CRM 62588