Como calcular meu período fértil? - Clínica Art Medicina
Clínica Art Medicina Reprodutiva
Pré-agendar consulta
Como calcular meu período fértil?

Como calcular meu período fértil?

Calcular o período fértil é um recurso importante para aumentar as chances de o casal conseguir a gravidez.

Durante o ciclo menstrual, uma das fases é a de ovulação, quando o óvulo é liberado e viaja até as tubas uterinas, onde ocorre a fecundação. A sobrevida do óvulo, no entanto, é de apenas 24 a 36 horas, enquanto os espermatozoides podem sobreviver por cerca de três dias no organismo feminino.

O período fértil, também conhecido como janela da fertilidade, considera o tempo de vida de ambos os gametas, tendo a duração de seis dias.

Embora os espermatozoides permaneçam por mais tempo no organismo feminino, as chances de concepção aumentam quando eles estão presentes em maior quantidade. Assim sendo, homens com fator de infertilidade que reduz o número de gametas no sêmen, como a oligozoospermia (número de espermatozoides abaixo do estabelecido como mínimo) ou a azoospermia (ausência total de gametas no sêmen), podem se tornar inférteis.

Saiba, neste texto, como calcular corretamente o período fértil em ciclos menstruais regulares e irregulares. Ele aborda, ainda, o funcionamento do ciclo menstrual, as causas que provocam a irregularidade, como ela interfere na fertilidade feminina e quais sinais contribuem para identificar o momento de maior fertilidade.

Como o ciclo menstrual funciona?

Como o ciclo menstrual funciona?

O ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e é dividido em três fases, importantes para a concepção e para o desenvolvimento da gravidez.

A primeira é conhecida como fase folicular. Nela, os folículos, bolsas que contêm os óvulos, crescem estimulados pelo hormônio FSH (hormônio folículo-estimulante). Mesmo que vários folículos cresçam, apenas um se desenvolve e amadurece para posteriormente ovular, chamado dominante.

A fase folicular tem duração de cerca de 13 dias. A partir do 14º, inicia a fase ovulatória, quando o folículo que se desenvolveu e amadureceu rompe para liberar o óvulo. A maturação final e o rompimento do folículo ocorrem pela ação do LH (hormônio luteinizante). O óvulo liberado permanece nas tubas uterinas por 24 a 36 horas.

O 15º dia marca o início da fase lútea, quando o folículo que rompeu, também estimulado pelo LH, transforma-se em corpo-lúteo, responsável pela secreção de estradiol e progesterona, fundamental para o desenvolvimento da placenta e da gravidez.

A fase lútea dura até o 28º dia do ciclo menstrual. Se a fecundação não ocorrer, o corpo-lúteo é absorvido pelo organismo e a diminuição dos níveis hormonais provoca a descamação do endométrio e a menstruação.

Nos ciclos regulares, com duração de 28 dias, o período fértil pode ser mais facilmente calculado. Nos irregulares, por outro lado, o cálculo considera a variação do período menstrual durante o intervalo de 12 meses.

Saiba como calcular o período fértil

Diferentes causas podem provocar ciclos irregulares, incluindo condições como endometriose, miomas e pólipos endometriais, doença inflamatória pélvica (DIP), disfunções da tireoide, ou mesmo a obesidade e hábitos como tabagismo e consumo de álcool.

Irregularidades menstruais são geralmente caracterizadas pela oscilação entre períodos. Eles podem ser mais longos ou mais curtos do que o habitual, de 28 dias, e causam disfunção na ovulação, um dos principais fatores de infertilidade feminina.

Por isso, o cálculo em ciclos irregulares é determinado pela variação entre o ciclo mais curto e o mais longo no intervalo de um ano.

Os ciclos regulares, por outro lado, podem ser calculados a partir da definição da data em que a ovulação vai ocorrer. A fórmula considera também o tempo de sobrevida dos espermatozoides no organismo feminino.

Veja exemplos de como o cálculo é feito nas duas situações. Em ambos os casos, é importante sempre anotar a data de cada menstruação:

Alguns sinais também contribuem para identificar o período fértil. Identificá-los é bastante útil, principalmente nos casos em que os ciclos são irregulares, uma vez que a fórmula sugere um período bem mais amplo enquanto possibilidade de ocorrer a concepção.

O muco cervical, por exemplo, torna-se mais espesso, pegajoso e esbranquiçado, com aparência semelhante à da clara de ovo e, mais líquido quando a ovulação ocorre, para facilitar o transporte dos espermatozoides até as tubas uterinas. O muco cervical faz uma função semelhante à capacitação do sêmen para a fecundação.

Ao mesmo tempo, as mamas ficam alteradas, mais sensíveis e levemente inchadas. A partir da manifestação desses sinais, é possível recorrer também aos testes de ovulação. Facilmente encontrados em qualquer farmácia, eles ajudam a confirmar se a janela de fertilidade iniciou.

Nos casos em que mesmo com a utilização das fórmulas e a frequência nas relações sexuais a gravidez não ocorre, a indicação é o tratamento com as técnicas de reprodução assistida, que proporcionam a solução de problemas de ovulação e de outros que podem causar infertilidade feminina ou masculina.

Nesse caso, é importante buscar auxílio médico.

Agradecemos a sua leitura, aproveite e compartilhe
com seus amigos esse texto:
Ficou com dúvidas ou gostou do conteúdo?
Deixe o seu comentário abaixo:

© 2019 ART MEDICINA S.A CNPJ: 17.109.145/0001-28. Todos os direitos reservados.
O conteúdo deste site foi elaborado pela equipe da Clínica Art Medicina e as informações aqui contidas tem caráter meramente informativo e educacional. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, somente ele está habilitado a praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Todas imagens contidas no site são meramente ilustrativas e foram compradas em banco de imagens, não envolvendo imagens de pacientes.
Diretor Técnico: Marcelo Giacobbe - CRM 62588