Gestação gemelar: quais são os riscos? - Art Medicina Reprodutiva
Art Medicina | WhatsApp
Clínica Art Medicina Reprodutiva
Pré-agendar consulta
Gestação gemelar: quais são os riscos?

Gestação gemelar: quais são os riscos?

A gravidez provoca diversas transformações no corpo, inclusive fisiológicas. O organismo se adapta para receber o feto e possibilitar o seu desenvolvimento adequado.

Alterações hormonais, por exemplo, causam desde os enjoos matinais, cansaço e fadiga, comuns à maioria das mulheres nos primeiros meses, a ondas de calor ou mesmo redução da libido e ressecamento vaginal quando o parto está próximo.

Alterações metabólicas também podem ocorrer em alguns casos, como o diabetes gestacional, uma vez que os níveis de glicose naturalmente aumentam durante o período e a elevação da pressão arterial.

Ainda que todas as gestações comecem da mesma forma, a gemelar tem algumas particularidades, incluindo maior risco de alterações metabólicas, além de outras complicações para mãe e para o feto.

Continue a ler este texto e entenda como ocorre a gestação gemelar e quais os riscos associados a ela.

Como a gestação gemelar pode acontecer?

Todos os meses durante o ciclo menstrual um folículo, bolsa que contém o óvulo, desenvolve e rompe liberando-o. O óvulo é capturado pelas tubas uterinas, local em que encontra o espermatozoide para fecundação.

Embora milhares de espermatozoides sejam ejaculados, apenas os mais capacitados conseguem chegar e fecundar o óvulo.

A gestação gemelar pode ocorrer quando os ovários liberam dois óvulos e cada um é fecundado por um espermatozoide (gêmeos não idênticos) ou quando um único óvulo fecundado por um espermatozoide divide e origina dois embriões (univitelinos ou idênticos).

Assim, quando há gestação de gêmeos não idênticos, é como se duas ocorressem: eles se desenvolvem ao mesmo tempo e podem ter ou não o mesmo sexo, enquanto os gêmeos univitelinos são idênticos, ou seja, possuem a mesma carga genética e sexo.

Na fase fértil, as chances de gestação gemelar são pequenas, mas aumentam quando há casos na família. No entanto, com o envelhecimento, ainda durante o período reprodutivo, se tornam maiores, uma vez que as alterações hormonais podem provocar a liberação de mais do que um óvulo a cada mês.

O risco também é maior nos tratamentos de reprodução assistida. Nas principais técnicas – relação sexual programada (RSP), inseminação artificial (IA) e FIV (fertilização in vitro) – uma das etapas mais importante é a estimulação ovariana, realizada com o objetivo de estimular o desenvolvimento e amadurecimento de mais folículos.

Na RSP e IA, como a fecundação ocorre naturalmente, nas tubas uterinas, os ciclos são minimamente estimulados, por isso as chances são bem menores quando comparadas à FIV, em que geralmente são transferidos pelo menos dois embriões para assegurar a possibilidade de a gravidez sem bem-sucedida.

Mesmo que muitas vezes a gestação gemelar seja desejada pelos pais, é uma condição potencialmente mais perigosa para a mãe e para o feto, principalmente quando comparada à gestação única.

Quais são os riscos associados à gestação gemelar?

Diferentes complicações podem ocorrer na gestação gemelar. Nos casos em que há duas placentas, uma para cada feto, os riscos são menores. No entanto, aumentam significantemente quando eles dividem a mesma placenta, o que ocorre na maioria das gestações de gêmeos idênticos.

Os cuidados e acompanhamento adequados durante o pré-natal, por outro lado, podem minimizar bastante os riscos, ao mesmo tempo que indicam a malformações fetais, possibilitando o tratamento, em boa parte dos casos, ainda durante o desenvolvimento intrauterino.

Como é realizado o pré-natal na gestação gemelar?

As consultas ao ginecologista-obstetra devem ser mais frequentes para acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos fetos, monitorar a saúde da mulher e observar sinais de trabalho de parto prematuro. Para isso, os exames de ultrassonografia também são realizados com maior periodicidade, assim como podem ser necessários outros testes à medida que a gravidez avança.

Uma alimentação balanceada, rica em vitaminas é necessária para a nutrição dos fetos e para evitar o excesso de peso. Atividades físicas menos impactantes podem ajudar a reduzir o inchaço e a melhorar o desconforto, no entanto devem ser feitas a partir de recomendações médicas.

A gravidez gemelar normalmente tende a aumentar a sensação de cansaço e fadiga, por isso é importante descansar regularmente e intensificar os períodos quando o parto aproxima da 30ª semana, uma vez que há grande possibilidade de ele ocorrer prematuramente.

A FIV é uma das técnicas que mais aumenta as chances de gestação gemelar. Se quiser saber mais sobre ela, toque aqui.

Agradecemos a sua leitura, aproveite e compartilhe
com seus amigos esse texto:
Ficou com dúvidas ou gostou do conteúdo?
Deixe o seu comentário abaixo:

© 2022 ART MEDICINA S.A CNPJ: 17.109.145/0001-28. Todos os direitos reservados.
O conteúdo deste site foi elaborado pela equipe da Clínica Art Medicina e as informações aqui contidas tem caráter meramente informativo e educacional. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, somente ele está habilitado a praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Todas imagens contidas no site são meramente ilustrativas e foram compradas em banco de imagens, não envolvendo imagens de pacientes.
Diretor Técnico: Marcelo Giacobbe - CRM 62588