Epididimite: veja como é feito o diagnóstico - Art Medicina Reprodutiva
Art Medicina | WhatsApp
Clínica Art Medicina Reprodutiva
Pré-agendar consulta
Epididimite: veja como é feito o diagnóstico

Epididimite: veja como é feito o diagnóstico

Existem algumas doenças que podem afetar o sistema reprodutor masculino, com destaque para as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A epididimite, a inflamação dos epidídimos, ductos em que ocorre a maturação e armazenamento dos espermatozoides, pode ser causada por uma IST, mas também por outros fatores.

O homem tem dois epidídimos, estruturas que ficam localizadas na parte lateral de cada testículo. Eles têm uma função importante na fertilidade, pois levam os gametas para os canais deferentes para depois serem transportados à uretra e levados ao meio externo na ejaculação.

Mas, afinal, quais os sintomas e como a epididimite pode ser diagnosticada? Descubra as respostas para essas e outras questões sobre a doença neste texto!

O que é epididimite e quais são os riscos?

Epididimite é a inflamação dos epidídimos, podendo ocorrer principalmente quando microrganismos, geralmente bactérias, atingem esses ductos. O grupo mais afetado são os homens sexualmente ativos, visto que a principal causa da doença são infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como gonorreia ou clamídia.

Contudo, a inflamação pode ser causada por outras doenças, como a caxumba ou ainda resultar de processos inflamatórios na próstata ou uretra e, assim, atingir homens de outras idades, inclusive na infância. Vale ressaltar que a inflamação também pode ser decorrente também de um trauma nos testículos.

A epididimite pode se manifestar de duas maneiras:

No caso da forma aguda, o diagnóstico costuma ser rápido, e o tratamento com antibióticos geralmente é realizado rapidamente, eliminando a infecção.

O maior risco é no caso da epididimite crônica, visto que, quando a infecção leva mais tempo para ser tratada, pode causar outros prejuízos, inclusive infertilidade. Isso porque pode atingir também os testículos e desencadear um quadro de orquiepididimite com alterações na produção dos espermatozoides, ou causar obstruções que impedem o transporte deles para serem ejaculados.

Quais são os sintomas da doença?

Devido aos riscos que a epididimite pode causar, é essencial que os homens estejam atentos aos sintomas para que procurem ajuda médica de forma rápida, dando início ao tratamento. Veja abaixo os principais:

Como é feito o diagnóstico da epididimite?

Como você viu, é importante realizar o diagnóstico da epididimite o quanto antes a fim de evitar que a doença leve à infertilidade.

Uma dúvida comum é: como detectar a doença? O médico realiza o exame físico, analisando qualquer mudança na região dos testículos ou ainda alguma secreção eliminada pelo pênis. Em muitos casos, já há suspeita nesse procedimento.

Contudo, para confirmar o diagnóstico são realizados exames laboratoriais, como de sangue e urina. A partir disso, é possível saber qual bactéria é a causadora da infecção.

Por fim, a detecção da doença pode incluir, ainda, exames de imagem, como a ultrassonografia dos testículos e a ressonância magnética para saber se a doença atingiu outras estruturas, além dos epidídimos. Esses exames também podem investigar outros problemas que possam ter sintomas parecidos com a epididimite.

Quando a infecção é identificada, o tratamento costuma ser com medicamentos antibióticos para eliminar as bactérias, e analgésicos ou anti-inflamatórios para aliviar quadros de dor e outros desconfortos. Se a doença for causada por uma IST, como a clamídia ou gonorreia, é fundamental que a parceria também faça o tratamento, evitando a reinfecção.

Em casos mais severos da doença, pode ser recomendado o tratamento cirúrgico para retirar as estruturas atingidas. No entanto, cirurgia para tratar a epididimite é rara. Hoje evita-se a indicação de tratamentos radicais para qualquer condição de saúde.

Por que a reprodução assistida é importante para casos de complicações pela epididimite?

Você pôde acompanhar como é o diagnóstico e as formas de tratamento da epididimite. Entretanto, quando não detectada, a doença pode trazer comprometimento para o sistema reprodutor masculino.

Então, há situações em que a doença leva a um quadro de infertilidade que não pode ser revertida. Nesses casos, os homens que querem ter filhos podem contar com as técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV).

Nela, pode ser feita a coleta dos espermatozoides diretamente dos testículos, onde eles são produzidos, para posterior seleção dos melhores a serem utilizados na fecundação, realizada em laboratório.

O diagnóstico da epididimite envolve diferentes exames para detectar o agente causador da infecção, bem como outras complicações da doença. Por isso, qualquer mudança na região dos testículos precisa ser investigada por um urologista, para evitar prejuízos maiores ao sistema reprodutor masculino.

Se você busca mais informações sobre essa doença, toque aqui!

Agradecemos a sua leitura, aproveite e compartilhe
com seus amigos esse texto:
Ficou com dúvidas ou gostou do conteúdo?
Deixe o seu comentário abaixo:

© 2022 ART MEDICINA S.A CNPJ: 17.109.145/0001-28. Todos os direitos reservados.
O conteúdo deste site foi elaborado pela equipe da Clínica Art Medicina e as informações aqui contidas tem caráter meramente informativo e educacional. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, somente ele está habilitado a praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Todas imagens contidas no site são meramente ilustrativas e foram compradas em banco de imagens, não envolvendo imagens de pacientes.
Diretor Técnico: Marcelo Giacobbe - CRM 62588